A ORIGEM DO CHURRASCO NO BRASIL

Aqui no Brasil começou na região do Sul, no século XVII, mas a arte do churrasco já existia em toda América do Sul, antes mesmo do Descobrimento e era usada pelos índios. A lida com o gado afastava os trabalhadores por longos períodos e o churrasco era uma forma mais prática de se fazer uma refeição, pois tudo que era necessário para prepará-lo estava à mão: faca, fogueira feita em um buraco no chão, um espeto que podia ser preparado na hora com galhos, um generoso pedaço de carne e sal grosso. A comida era cortada em pequenos pedaços e servida, iniciando a forma de se servir rodízio de carne. E estava assim criado o legítimo churrasco gaúcho.

A colonização italiana ajudou a espalhar o hábito, onde churrasco era comido somente em dia de festa, com vários cortes de carne. Foi dali que nasceu o popularíssimo “rodízio de carnes” ou “espeto corrido”, onde também passou a ser feito com frango, carne de porco e peixes. Hoje em dia, a carne no espeto é um alimento não só preparado com facilidade e higiene, mas também de preço acessível a todas as camadas da população.

Nem sempre foi assim, demorou um tempo para o churrasco tornar-se um prato sofisticado e consumido nos melhores restaurantes do país. No início só se pensava em gado para obtenção de couro e sebo. Aos poucos, tornou-se uma prática mais difundida e novas técnicas de preparo. Surgiram variações como costela e paleta, e a carne bovina transformou-se no alimento básico do gaúcho, que a comia em grande quantidade.

Mais do que o ato de se alimentar, o churrasco tornou-se sinônimo de festa e confraternização entre amigos e familiares. Até hoje difundida em todo o país, a técnica é reconhecida e apreciada internacionalmente.

Dicas da Boi Brasil: melhor churrascaria de sp

Um delicioso churrasco tem seus segredos, como a escolha da carne, o tempero e a forma de assar. Na hora da compra, a aparência é o principal indicador da qualidade. Desconfie da iluminação vermelha nos locais onde as carnes ficam expostas. A cor da carne deve ser vermelho rosado, já que o vermelho escuro indica que ela ficou muito tempo sob refrigeração. A gordura deve ser amarelo claro, pois amarelo escuro é sinal de boi velho. Os melhores cortes de boi para um bom churrasco são: picanha, costela, contrafilé, alcatra, maminha, vazio de costela (fraldinha) e cupim. No caso da picanha, se a peça tiver mais de 1 quilo e meio, há grandes chances de conter uma boa parte de coxão duro.

Veja abaixo um vídeo que ilustra como começou o Rodízio de Carnes no Sul do Brasil: